Skip to Menu Skip to Search Contact Us Brazil Websites & Languages Skip to Content

Em 2011, a receita do turismo internacional ultrapassou a casa dos doze dígitos, mais de USD 1 trilhão!  Em termos percentuais, um crescimento de  3,8% em relação a 2010, e de 4,6% de aumento no número de chegadas.

Os primeiros resultados de 2012 indicam que o turismo internacional mantém um ritmo sustentado e com viés de crescimento – de 3 a 4% mais que no ano passado -  apesar do cenário mundial, ainda bastante desafiador. Os números são da Organização Mundial do Turismo, (UNWTO) que prevê um bilhão de chegadas até o final deste ano.

Aqui no Brasil, o Ministério do Turismo estima que a Copa do mundo, em 2014, traga 600 mil turistas estrangeiros e movimente 3 milhões de turistas brasileiros. Para atender as expectativas desse contingente, este mês, o programa de avaliação voluntária do Inmetro começou a entregar os primeiros certificados e conferir classificação – as conhecidas “estrelas” – aos hotéis brasileiros que se submeteram à avaliação.

Não é difícil de imaginar que associada a esse crescimento, a pressão em relação  à segurança da viagem, atendimento personalizado,  segurança do alimento, sustentabilidade e responsabilidade ambiental venham na bagagem. E as demandas partem não apenas do consumidor, mas também dos operadores turísticos que querem minimizar seus “riscos” à reputação e responsabilidade legal.

Voluntários ou não, uma séria de novos requisitos já impacta o setor como um todo, obrigando sua cadeia de fornecimento a se adequar e buscar soluções que permitam a efetiva gestão dos riscos associados à atividade, a começar pela segurança do alimento: Listeria monocytogenes, Salmonella, Escherichia Coli, Hepatite A são apenas algumas das ameaças que podem estragar o apetite dos hóspedes e acabar com reputação do hotel ou restaurante, por exemplo.

Uma solução para prevenir a contaminação começa pelo treinamento das equipes passa pelas auditorias de  Boas Praticas e chega até um sistema de gestão da segurança do alimento.

Piscinas e spas, qualidade do serviço e atendimento ao cliente são outros fatores a considerar.  Para  isso, soluções como a análise da água e auditorias do tipo “cliente misterioso” podem assegurar um nível de qualidade de práticas e instalações que atenda às expectativas do mercado e valorize a marca .

Com mais de 130 anos de expertise no desenvolvimento de ferramentas para gestão de risco, o Grupo SGS apresenta um portifólio de soluções para o setor de hospitalidade e turismo que atende às particularidades de cada localidade e tipo de estabelecimento, de simples inspeções a soluções customizadas de acordo com as necessidades do cliente.

Saiba mais. Entre em contato.