Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Brazil Sites e Idiomas Skip to Content

Para garantir a alta qualidade e o valor da casimira, as fibras precisam ser medidas em termos de densidade e espessura da escama, pigmentação, diâmetro e outras características.

A SGS tem a experiência e a especialização para realizar dois métodos comercialmente viáveis de medição disponíveis atualmente: microscópio óptico e microscópio eletrônico de varredura (SEM).

Identificação da casimira com SEM

Usar o método SEM permite que nossos técnicos vejam, com ampliação máxima, a superfície da fibra em detalhes. A alta resolução (menos de dois nanômetros) e a grande profundidade do campo possibilitam que nossos especialistas determinem as características da superfície com mais facilidade. Isso também permite medir características topográficas, tais como altura e densidade da escama (a proporção do comprimento da escala ao diâmetro da fibra). Embora essas medições possam ser úteis ao discriminar objetivamente em conjunto as fibras, é importante notar que o método MEV não revela a estrutura interna da fibra (ou a pigmentação).

Seguimos a metodologia padrão do setor relevante para medição da composição através do MEV, conforme estabelecido pela Organização Internacional de Lã (IWTO-58). Ela utiliza a altura de escama para diferenciar entre lã (definida como uma altura de escala superior a 0,55 mícrons) e fibras especiais, incluindo casimira, pelo de cabra, camelo, lhama e alpaca.

Medições consistentes, precisas

Nossos técnicos, então, identificam as fibras especiais de outras propriedades topológicas, tais como formato da escama, densidade e regularidade do diâmetro da fibra, um processo um pouco subjetivo. Para manter a consistência e a precisão, usamos métodos de medição aceitos pelo setor e fornecemos treinamento padronizado aos nossos técnicos, baseado na nossa biblioteca de fibras de animais rastreáveis.

Centralizamos a operação dos nossos serviços de teste de fibras especiais de animais no Reino Unido. Aprovado pelo instituto CCMI (Cashmere and Camel Hair Manufacturers Institute), esta instalação está constantemente envolvida no desenvolvimento de:

  • Procedimentos técnicos padronizados
  • Amostras eletrônicas e físicas de fibras rastreáveis
  • Treinamento computadorizado para identificação de fibras
  • Processos para monitoramento contínuo dos técnicos

Entre em contato com a SGS para descobrir como nossos serviços de teste de fibras podem ajudar a manter a alta qualidade e o valor das suas remessas de fibra.