Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Brazil Sites e Idiomas Skip to Content

Testes reológicos determinam as características de fluxo de materiais.

Os carvões de coque se dilatam, amolecem e depois voltam a solidificar-se para formar o coque, quando aquecido na ausência de ar. Essas propriedades reológicas do carvão no forno de coque têm um grande impacto na qualidade do coque resultante. A SGS usa os testes padrão da indústria plastômetro Gieseler e dilatômetro Arnu, além do teste de Sapozhnikov e testes de índice de coqueamento G para determinar de forma precisa as propriedades reológicas e de assimilação inerte de suas amostras de carvão.

Os dados obtidos através dos testes reológicos permitem que você selecione carvões que tenham as propriedades de termodinâmica adequadas para produzir o coque de alta qualidade que requer.

A SGS é líder global em análises laboratoriais de carvão. Nossos técnicos experientes e laboratórios de testes de última geração oferecem testes independentes de propriedades reológicas do seu carvão de coque com resultados rápidos. Ajudamos a assegurar a qualidade e adequação das amostras de carvão de coque para a sua operação. 

Teste de plastômetro Gieseler

O especialistas da SGS usam o teste de plastômetro Gieseler para determinar a fluidez máxima e o intervalo de plasticidade de carvão, que é a diferença entre o amolecimento inicial e as temperaturas de ressolidificação. Para esta análise, 5 gramas de carvão malha preparado menos 40 é embalado em um barril retorto junto com um agitador. Um torque constante é aplicado ao agitador e o carvão é aquecido a 3°C/minuto. À medida que o carvão amolece, o agitador começa a girar. O valor máximo de fluidez de sua amostra é expresso em divisões com ligação por minuto (DDPM) da rotação do agitador.

Uma ampla plasticidade no OC e a fluidez máxima em DDPM são fatores-chave usados para determinar quais misturas de carvões são ideais para o coque.

Teste do dilatômetro Arnu

Os especialistas técnicos da SGS usam o teste de dilatômetro Arnu para determinar as propriedades de inchaço da sua amostra de carvão quando aquecida em condições normais em um dilatômetro. Um lápis de carvão malha preparado menos 60 é colocado em um forno e o aparelho é aquecido a 3ºC/minuto. Monitoramos e registramos cuidadosamente o movimento do pistão conforme o lápis de carvão se reduz e se expande. A dilatação máxima, assim como a contração percentual e temperaturas correspondentes são reportadas.

Teste de Sapozhnikov

O teste foi originalmente desenvolvido na Rússia, em 1931, e é realizado de acordo com GOST 1186. Os chineses adotaram o teste (GB/T 479) com algumas pequenas diferenças. Uma amostra de 100 g de carvão menos 1,5/1,6 mm é colocada em uma cápsula de aço e pressionada com a ajuda do pistão e um peso prescrito, formando um briquete. O aquecimento é feito em um forno com um aumento de temperatura de 3ºC/minuto. Entre 350 e 650ºC, os níveis superior e inferior da camada de plástico são medidos a intervalos regulares, usando uma agulha e uma régua milimétrica. O valor Y é a diferença máxima entre os níveis de camada de plástico superior e inferior expressado em milímetros. Os valores de Y geralmente vão de 5 a 35 mm. O valor X é igual ao percentual de contração, ou encolhimento, do briquete de carvão durante o teste. Os valores de X geralmente vão de 0 a 30%.

A SGS atualmente realiza este teste na Rússia e na China, e novas instalações de teste estão sendo criadas na Austrália e nos EUA.

Teste de índice de coqueamento G

Este teste foi desenvolvido na China e é realizado de acordo com os padrões GB/T 5447 e ISO 15585. Ele é usado como uma ferramenta de avaliação de carvão metalúrgico primária pelos produtores de coque chineses. Neste teste, 1 g de menos 0,2 mm é misturada com 5 g de antracito e colocada em um cadinho. Um peso de 100-115 g é colocado no topo da amostra de carvão e depois a amostra é pressionada por 30 segundos sob uma massa de 6 kg. A amostra é rapidamente coqueada em um forno elétrico a 850º em 15 minutos. O coque é pesado (M), colocado em um pequeno tambor e colocado para girar durante 5 minutos a 50+/- 2 rpm. O resíduo de coque é crivado a 1 mm e o peso do coque + 1 mm (M1) é determinado. O coque + 1 mm é depois tombado uma segunda vez, o resíduo crivado a 1 mm e o peso do coque + 1 mm (M2) é determinado.

Índice de coqueamento G = 10 + ((30M1 + 70M2) / M) Os valores geralmente vão de 20 a >100, sendo o desejado >85.

A SGS atualmente tem a capacidade para realizar o teste na China, e novas instalações estão sendo montadas na Austrália e EUA.

Associe-se à SGS e aproveite as nossas capacidades técnicas para garantir que as suas análises de carvão e coque atendam os padrões globais de qualidade e excelência. Entre em contato com a SGS e saiba mais sobre os nossos procedimentos de testes de carvão, que lhe oferecem análises de carvão precisas e em tempo hábil.