Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Brazil Sites e Idiomas Skip to Content

Os grandes eventos que começam em 2014 devem movimentar cifras que chegam a sete dígitos. Serão milhares de postos de trabalho e uma expectativa que só para a Copa do Mundo supera os 500 mil turistas nas doze capitais-sede. Mas o sucesso desses eventos está muito ligado à forma como esse exigente público será tratado. Temos as competências para encantar esses clientes?

Não há dúvidas de que os próximos anos representam uma oportunidade histórica para fortalecer a imagem do país no exterior e promover a vocação e o crescimento do turismo brasileiro. A Copa do Mundo de 2014 tem tudo para alavancar nosso turismo com a “marca” Brasil, consolidando o terreno para as Olímpíadas em 2016.  Mas para isso, é preciso que sejam agregados ao turismo brasileiro atributos como competência, organização e qualificação, além da já reconhecida alegria do povo verde-amerelo. 

Na preparação do “negócio” Copa do Mundo, aspectos de infraestrutura como saúde, energia, transporte e segurança, além da adaptação e construção dos estádios,  são responsabilidade dos governos  municipais, estaduais e federal.  Para o público nacional, e principalmente o estrangeiro, a bola estará no pé do setor de hospitalidade; afinal, hotéis,  restaurantes e serviços de alimentação em geral estarão na linha de frente, em contato direto com o turista. 

Já é consenso entre especialistas de mercado, que a qualificação profissional deve ser um dos principais focos de atenção de empresários e autoridades, já que será preciso mais que do um sorriso para encantar o público internacional, mais exigente em relação à segurança do alimento que consome e do atendimento que recebe.

Embora já existam programas patrocinados  pelo Ministério do Turismo para reclassificação de hotéis e pousadas caberá á cadeia  produtiva de hospitalidade assegurar a qualidade e segurança dos alimentos que fornece através do controle de sua cadeia de fornecimento.  

Também é preciso formar e desenvolver  as competências profissionais dos técnicos da área (de nutricionistas a gerentes de Alimentos e Bebidas, de ajudantes de cozinha a chefes  e outros profissionais envolvidos) de forma que consolidem conhecimentos mais especializados sobre o tema.  

O cronômetro está correndo e essa capacitação da organização é o que fará diferença no atendimento das expectativas do cliente, valorizando sua marca e a do país, aí sim com um sorriso no rosto. 

Interessado? A SGS Academy tem treinamentos específicos e soluções para o gerenciamento da segurança do alimento. Clique aqui e saiba mais.