Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Brazil Sites e Idiomas Skip to Content

No último The Proof você ficou sabendo o que deve mudar na nova versão da ISO14001. Nesta edição, o The Proof adianta a seus leitores as principais alterações que o draft da norma apresenta, para o escopo do SGQ, as prováveis mudanças da norma ISO 9001.

A última revisão foi feita em 2008, e o grupo de trabalho TC176-SC2-WG24 pretende soltar a revisão final no último trimestre de 2015. Um draft da norma revisada deverá estar disponível  em 2014 para  votação e comentários.

São esperadas algumas mudanças estruturais, sem perda na harmonização com outros sistemas de gestão. Assim como ocorreu com a ISO 20121:2012, Sistemas de Gestão da Sustentabilidade de eventos.

A versão revisada da norma ISO 9001 contará com dez seções.

  1. Escopo
  2. Referências normativas:  as duas seções terão uma redação específica da norma ( incluindo-se o resultado esperado)
  3. Termos e definições: referência a termos comuns e definições básicas  descritas no anexo SL, assim como qualquer outro que se refira exclusivamente ao SGQ
  4. Contexto da organização: nesta seção incluem-se os requisitos relativos à compreensão da organização com relação à aplicação da norma,   necessidades e expectativas das partes interessadas,o  alcance do SGQ e o próprio SGQ
  5. Liderança: Liderança e comprometimento da alta direção, política do SGQ, assim como funções, responsabilidades e autoridade
  6. Planejamento: ações para abordagem de riscos e oportunidades,  objetivos do SGQ e planos para atingi-los.
  7. Recursos:  recursos necesários para o SGQ, qualificação de pessoal, treinamento, sensibiização, comunicação e informação documentada.
  8. Operação: Planejamento e controle operacional.
  9. Avaliação de desempenho: monitoramento, medição, análise e avaliação, auditoria interna e análise crítica pela alta direção.
  10. Melhoria: não conformidade, ações corretivas e melhoria contínua.

Além de algumas mudanças gerais de redação (utilização do termo “informação documentada” para substituir as referências a “documentação” e “registros” por exemplo), o texto que o anexo SL exige que seja utilizado não contém requisitos específicos para “ações preventivas”. Embora esteja claro que isso se deva ao fato de que  um dos principais objetivos de qualquer sistema de gestão é atuar como uma ferramenta de prevenção à não conformidade,  a “ação preventiva”  poderá ser incluída na versão final revisada da norma ISO 9001.

O anexo SL inclui um requisito específico para que as organizações determinem os riscos que devem ser levantados para assegurar que o sistema de gestão possa de fato atingir os resultados desejados, prevenir ou reduzir os efeitos não desejados e alcançar a melhoria contínua.  Cada norma de sistema de gestão pode definir o risco em termos que sejam relevantes para seu escopo específico, o que também se aplica à norma ISO 9001 em relação à conformidade de produtos e serviços e à satisfação do cliente. 

É evidente que nesta etapa do processo de revisão, nada há de definitivo sobre o conteúdo da versão final revisada da norma. E até que a versão final seja publicada  no final de 2014, ninguém pode fazer prognósticos definitivos sobre os requisitos,  detalhamento dos trâmites internos ou modificações de procedimentos,nem  tampouco do processo de transição do atual certificado da ISO 9001.  

Interessado em certificar sua empresa em normas de gestão ou numa auditoria de diagnóstico? Entre em contato.