Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Brazil Sites e Idiomas Skip to Content

Por Gustavo G. Boog
As bases para bons relacionamentos e excelência no trabalho em equipe

Todas as empresas almejam a excelência no trabalho em equipe, pois sabem que quando se trabalha de forma integrada, os resultados são atingidos com menor custo, com mais satisfação e em níveis incomparáveis. Relacionamentos bons, construtivos e positivos são fundamentais para que as equipes trabalhem bem.

Eu aprendi com Peter Harazim a frase “diferente é só diferente, não quer dizer que é errado”. Frase fácil de falar, mas não tão fácil de colocar em prática. Todos têm dificuldades em aceitar aqueles e aquilo que é diferente do que pensamos, dos jeitos com que agimos. Na realidade, o “meu jeito de ser” é o certo: aqueles que têm um jeito assemelhado ao meu estão certos, aqueles que divergem estão errados. Quanto mais pensamos desta forma, mais o individualismo prevalece, mais as equipes se deterioram e os resultados despencam.

A reverência pela diversidade é a chave para o entendimento, para estabelecer uma visão convergente, que é a “cola” que manterá a equipe unida. As pessoas são diferentes, e isto é bom, é útil e é adequado. As unanimidades são burras. Desde os pequenos desentendimentos individuais, até as guerras mundiais, têm origem na não aceitação de que outros possam ser diferentes de nós, e que isto está certo e é bom. Claro que se eu sou honesto e o outro é ladrão, e, portanto, diferente de mim, isto está errado. Refiro-me às diferenças em formas de pensar e de agir.

Vejam quantos exemplos:

  • O meu partido político é o certo, o teu é errado
  • O em time de futebol é o melhor, o teu não serve
  • A minha religião é a certa e a única que leva a Deus, a tua é errada e não leva a nada
  • As pessoas de minha região são ótimas, as de outras são horríveis
  • O pessoal de marketing é excelente, mas os de outras áreas estão errados
  • O pessoal do turno da noite é bom, o dos outros é ruim
  • Os funcionários mais experientes são ótimos, os novatos são péssimos
  • Os subordinados são dedicados,os chefes ao carrascos.
  • E esta lista é infindável.

Quando admitimos que possa haver formas diversas das minhas de pensar e de agir, estaremos no caminho da aceitação das diferenças e da construção de organizações que são excelentes lugares para se trabalhar, pois são lucrativas, humanas e sustentáveis.